Inventário

Essa solidão imensa entrego a qualquer poeta

Essa esperança deixo no coração de uma criança

Essa certeza é para a vida negar

Essas lembranças que saiba o tempo apagar

Esse gosto de ilusão: na porta de saída da relação

As convicções de futuro ficam para o dia que nunca chegará

Essa tristeza ninguém há de querer

Esse querer ninguém poderá receber

Essa dor, uma pedra perfumada estancará

Essa absoluta falta de sentido e motivo fica comigo

Essas inúteis manhãs continuarão sendo inúteis manhãs, bem sei

Essa ausência é o que sobrou do que pensei que fosse amor.