Caixa da Gratidão

Na virada de 2017 para 2018 fui acordada por uns entusiasmados festeiros soltando rojões no Condomínio. E olha que foi feita uma campanha para os moradores não soltarem fogos em respeito aos peludos…  Uma vez acordada, dei uma olhada nas comemorações transmitidas pela televisão: definitivamente um clássico quando se trata de renovar as esperanças. O mesmo, mas a diferença está na energia que cada um despeja no universo, numa mesma hora, num mesmo significado, pelos anos que se sucedem. Torço muito mesmo para que dias melhores abracem a todos.

Não, não dei pulinhos, não botei roupa nova, não comi lentilha, não guardei folha de louro na carteira, não cheguei perto de nenhuma uva, não fiz qualquer dessas coisas, que embora muito simpáticas não me seduziram a praticá-las. Fiquei de “cara limpa”, rugas expostas, celulites à mostra e sem um tiquinho de consciência pesada por ter comido demais. E foi bom!! E foi ótimo!!  Uma sensação de que ano novo só depende de mim, sem que frutos, folhas, cereais, interfiram na minha responsabilidade de fazê-lo realmente novo. Ah! Preciso confessar que fiz um joguinho, mínimo (afinal sorte é sorte!), na Mega da Virada. Não ganhei os mais de 30 milhões e este fato me deixou exatamente onde eu estava… o que pode ser uma benção….

Mas músicas tocam, fogos iluminam a noite com muito barulho, uma multidão entrando no meu quarto pela tela da televisão, desejos irrestritos de felicidade cruzando distâncias imensuráveis, até que uma ancora de noticiário mencionou que ela preserva um pote de gratidão que é abastecido desde o primeiro dia de cada ano e revisitado no último dia do mesmo ano. A ideia era tudo que eu esperava para ter o meu próprio ritual de passagem!!

Já escolhi a minha Caixa! Estou pensando em mil maneiras de personaliza-la! Já separei o bloquinho que irá prestar o serviço de registrar as gratidões que se amontoarão em 2018. Já identifiquei neste primeiro dia do ano anotações inaugurais. Lampejos de alegria circulam, se entrelaçam, se multiplicam e dão consistência a alguns valores aos quais não gostaria nunca deles me afastar ….

Minha Caixa da Gratidão fica aqui na minha bancada de trabalho. Meu talismã, minha simpatia de ano novo, meu preventivo contra a amnésia, minha concreta significação de que são muitas as ocorrências dignas de reverência, tantas que com facilidade tendemos a deixa-las escapulir na poeira do tempo que cobre a nossa emoção.

Minha Caixa de Gratidão me fará sorrir quando chegar o último dia. Tenho certeza disso. A retrospectiva estará pronta e repleta do que realmente importa ser preservado na vida.

 

5 Comentários até agora.

  1. renato soares menezes disse:

    Que ótima ideia! Mas creio que a melhor gratidão nos acontece todos os dias, pela manhã, quando acordamos, abrimos os olhos e verificamos que estamos vivos e saudáveis para mais um dia! Graças a Deus, diariamente!

  2. Tania H R Salgueiro disse:

    Super essa prática. Lembrete constante que nos obriga a refletir e encontrar graças as vzs nem tão aparentes. Amei. Vou adotar. Bjs de ano novo.

  3. Jandiara disse:

    Ideia adorável. Mas o meu problema vai ser conseguir um pote que caiba toda a minha gratidão. Ultimamente ando tão grata! E sem falar da gratidão por acordar todos os dias, como o Renato mencionou. Enfim, vou comprar um bem grande e torcer para que possamos “trocar experiências” quando 2019 chegar. Bjs

  4. Monica Barros Coutinho disse:

    Já comecei o ano sorrindo ao ler seu texto! Gratidão contagia, sorriso contagia, a energia se propaga! Obrigada, bom começar assim!… Gratidão na alma!

  5. Flavia Rusznak disse:

    Amei!! Ideia fantástica para uma reflexão tão importante de ser feita diariamente mesmo! Texto lindo como sempre!