Questão de Tempo

Caro Amigo,

Demorei para chegar aqui. Ultimamente tem sido assim: o fôlego exige um tempo maior para estar minimamente recuperado. As informações chegam numa velocidade estonteante e sem filtro, assim as notícias boas parecem trançadas às notícias tristes e a respiração tropeça na ansiedade, na indignação, na decepção… aqui e ali uma e outra despertam um sorriso, como se fossem aquelas brasas fraquinhas que persistem quando a fogueira é abandonada… a isso chamam esperança…

Não foi um ano fácil esse tal de 2019. Acho que fácil não se aplica mais ao repertório de análises para aqueles que já passaram dos 60 anos. A idade dificulta muito a arte de viver: vai aos pouquinhos travando os passos, encolhendo a disposição, adotando novos medicamentos, aumentando a vulnerabilidade, capilarizando dores inéditas. E, de braços dados, chegam as percepções das fragilidades: resiliência esgarçada, tristezas mais dramáticas, expectativas frustradas, quase trágicas… Não, não foi um ano fácil, mas ainda assim bendito… Tenho meia duzia de afirmações guardadas no “Pote da Gratidão”; para ser precisa, foram noves registros. Gratidão por terem me dado trabalho; gratidão por ter as contas pagas; gratidão por ter recebido postais dos amigos em terras distantes; gratidão por ter convivido, por poucos dias, com parente próximo que vive geograficamente longe demais; gratidão por ter conseguido ser útil a alguns em suas dificuldades; gratidão pelos amigos guardados no peito apesar dos raros encontros; gratidão por ter acordado todos os dias, com menos ou maiores dificuldades; gratidão pelas saudades que vão se acumulando com muita intensidade desde que você se tornou uma delas; gratidão pela família, que seja lá como for, ninguém larga a mão um do outro… nas alegrias, mas principalmente nas tristezas…

Agora já é 2020, aconteceu de um dia para o outro… Sem alegria no coração, sem expectativas, desejando a todos que não nos falte saúde, que não nos falte respeito, que não nos falte tolerância, que não nos falte o luxo de algumas alegrias… Temos um ano inteiro para conferir possibilidades e que essas possibilidades não nos passem desapercebidas, pois assim aumentam as nossas chances de sermos outros, de sermos melhores… Que possamos nos modificar sempre, porque só assim o tempo faz sentido e nos ensina a sua utilidade. Sempre, a cada dia, que nos venham novas diferenças, que sejamos diferentes do que fomos na véspera de nós mesmos. Mas só valem as modificações capazes de nos fazer mais integrados ao universo, ou seja, que nos permitam absorver tudo com a naturalidade imprecisa que faz de nós seres humanos (grandiosos em muito e medíocres em tanto).

Desejo que 2020 seja um ano pleno em delicadeza, em gentilezas, em respeito…

Que não falte a ninguém a alegria, daquelas que os cães oferecem a quem os ama… No mais, que os mistérios sejam céu enfeitado que nos permita contar as estrelas….

Até breve.

5 thoughts on “Questão de Tempo

  1. Por tamanha precisão, quase cirúrgica, transcrevo duas sentenças deste belo texto que as tomo como desejo meu a serem emanados ao todo: que eu absorva sem medos as “modificações capazes de nos fazer mais integrados ao universo, [...] com a naturalidade imprecisa que faz de nós seres humanos”. E: “que os mistérios sejam céu enfeitado e que nos permita contar as estrelas…”

    Feliz 2020, Vera! Continue nos presentiando com suas belas análises, vertiginosas palavras!

  2. Apesar do tom nostálgico e tristonho, o texto, em última anãlise, nos passa uma imagem redentora, uma nesga de esperança, uma confiança no porvir, uma expectativa de aprendizagem e de amadurecimento, em uma busca constante pelo aperfeiçoamento. E que bom que assim seja! Permanece em nós a alegria do tom positivo da mensagem, bem escrita e prazerosa de se ler!

  3. Sim, em tudo e para tudo, sim. Tomara, ao final de 2020, meu pote da gratidão ter o papelucho: “Gratidão, vida, pela amiga que pude rever”. Bj

  4. Um ano difícil… E como as notícias boas ficam trançadas com as ruins, também nossa força e resiliência se misturam com nossa tristeza e cansaço… Mas apesar da dor, o desejo do bem, do céu estrelado, da certeza do ninguém solta a mão de ninguém, resiste… E podemos desejar e ser grato por um Ano Novo! Desesperar, jamais! Obrigada, Vera, por esse texto tão lindo e verdadeiro! Feliz 2020!

  5. Bem… 2019 já se foi e com ele o pacote completo. Ficaram algumas lembranças mais intensas e em oposição como sempre. O mundo ainda não acabou e o tempo tem se encarregado de equilibrar algumas diferenças… Sigamos nossa jornada pois 2020 não tem volta e representa o hoje onde tudo acontece em termos objetivos. Vera seus textos de “virada-de-ano” sempre são ótimos e muito bem vindos, sejam quais forem os significados transmitidos. Um forte abraço e sucesso!

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>