Loja de Amores Usados – Carmen Moreno

usado

O livro me chegou por correio quando eu estava saindo para justificar meu voto. Domingo é dia de votos… talvez por isso cometamos tantos enganos: selecionamos nossos empregados em dia sem expediente…. Bom, mas essa é uma outra questão. O livro chegou no domingo, início de tarde, dia ensolarado e ameno que sempre acontece depois da despedida da chuva. Levei comigo o pacote que me foi endereçado e autografado pela própria autora. Levei comigo vaidosamente o envelope pardo. E o título do livro, desde o primeiro contato, já podia me oferecer o risco do vôo.

E que viagem! E que viagem…. Apreciando a carícia das sílabas a cada verso, cada vez mais, a autora vai conduzindo a alma de quem lê como um berço preparado para acolher a beleza, pelo dom de usá-la como abraço, utilizando as palavras bem mais como beijo. A sempre bem intencionada bússola dos abraços que cruzando destinos, fustigando os sonhos com o risco de outros, muitos, assédios, faz com que o “sim” rejunte a fissura dos sorrisos, e o rio lave a secura das bocas.

E é essa Poeta que nos avisa a nunca reter na concha das mãos um punhado de mar porque a estranheza da vida se resume a ser às vezes beco escuro, às vezes bocas acesas! E nessa condição de amor largado no mundo, aprende-se a esquecer datas e nomes para lembrar a perdoar, limpando todo o lixo entranhado na história  e aquele que se instala sob a garganta. Investigando o verbo que mata  e o gesto que enterra, nos casais que não se beijam com o olhar. De palavra em palavra, restaurando cada vez melhor as mágoas no desamparo com que os chicotes atuam nas certezas. Afastando o poder dos olhos amedrontados com um riso equilibrista direcionado ao desgosto.

Só é possível agradecer o perigo da beleza que nos é oferecido por um coração trilhado por tantos, com suas pegadas incuráveis dos envelhecidos casos de amor, que se esbarram e se misturam, com suas semelhanças. Nos deixa assim, numa inquietação do silêncio, realçando o olhar solitário, onde se acendem incensos para defumar os sonhos que se convertem numa farra das sementes, para todos.

Que eternamente a caneta seja o recurso desta Poeta para coçar a alma permitindo o luxo de um pedaço de seda sobre a dor, enganando as moscas. Para que a nossa dor, volátil, migre para o invisível, rumo ao sol. Porque é espantando o pó dos medos que neste quintal provisório a gula de Deus em engolir amores é quebrada pela alegria de compartilhar os sentidos das palavras estiradas nas páginas dessa enorme Loja….

Obrigada!

Livro: LOJA DE AMORES USADOS – autora: Carmen Moreno – Editora Multifoco (Av. Mem de Sá, 126 – Lapa – CEP: 20230-152 Rio de Janeiro – RJ)

2 Comentários até agora.

  1. Então, a Carminha é mesmo maravilhosa. Seus escritos envolventes e magnéticos como ela própria. Beijos

  2. Carmen Moreno disse:

    Olá Vera,
    Fiquei emocionada com seu texto sobre meu livro. Tão delicado e belo! Amei a garimpagem das imagens e a costura precisa. Estou, mais uma vez, mobilizada por sua escrita e sensibilidade. Obrigada, também, pelas palavras do cartão.
    Beijos,
    Carmen Moreno