• Saltaram dos livros e vieram para cá

    A poesia dos jardins e dos quintais

    Nunca li, na íntegra, nenhuma obra do mineiro Alexandre Heilbuth, que além de poeta é músico. No entanto, do seu livro de poesias Confissões de Jardineiro, alguns poucos versos do poema Recolhimento,  – que um cronista de Brasília (Severino Francisco) destacou em homenagem ao autor – me causaram íntima emoção: “Certa vez perdi o sono. / Fui ver meu jardim dormir. / Era madrugada… / Cuidei de não acordá-lo, / Só olhava. / Ele dorme leve, como monge. / Imerso num silêncio grato, reverente… / E na certeza calma e azul / De uma nova manhã.” Tais versos me transportaram às minhas próprias insônias que se instalam amiúde porque são…

  • Sentimentos acontecem dos fatos

    Devastação da História

    A primeira vez que tive uma sensação de perda foi quando logo concluído meus estudos primários, a escola municipal onde havia cursado minha primeira graduação foi desativada. Lembro-me da impressão de embaçamento que tomou conta de mim ao passar pelo prédio e não ver mais as letras garrafais expostas na sua fachada “Escola Bezerra de Menezes”, nem poder acompanhar o burburinho das crianças que chegavam e saiam acompanhadas dos responsáveis. Isso já faz muito tempo. A lembrança do fato permanece, mas a minha emoção particular cedeu prioridade a outras comoções de igual teor, só que agravadas pela compreensão de que o prejuízo alcançava uma capilaridade coletiva. Nasci no Rio de…

  • Sentimentos acontecem dos fatos

    Coisa Nossa

    “Eu moro no céu”, definiu um jornalista tão apaixonado por Brasília quanto eu. Isto porque essa cidade faz com que o nosso olhar, onde quer que estejamos, sempre procure nos oferecer uma nesga de céu para que não esqueçamos nunca que o nosso horizonte é expansível. Essa intimidade com o céu, nem sempre é algo confortável para as pessoas. Enquanto algumas se sentem plenas interagindo com tanto espaço, outras se sentem oprimidas com tanta liberdade visual. Desde sempre me apaixonei pela amplitude. Quando bem menos avançada na idade, meu prazer era andar pela cidade até cobrir meus sapatos da terra vermelha que gruda, feito tatuagem, no coração de quem ama…

  • Sentimentos acontecem dos fatos

    Justiça para quem?

    Não conheço ninguém que ao longo da vida tenha prescindido dos serviços de um advogado. Claro está que precisar de um advogado não significa, necessariamente, possibilidade de contratação dos serviços relacionados à profissão. E aí acontece uma das injustiças, que considero das mais torpes, relacionada com a própria Justiça: como pagar um advogado quando os custos são exorbitantes e jamais acessíveis a todos os seres humanos necessitados de representação junto a uma corte de Justiça. A Justiça é cega, mas eu complemento com vários outros substantivos a ela aplicáveis. Vou recorrer apenas a um: a Justiça é cega e transgressora. Com muita frequência ela puxa a venda dos olhos para…

  • Sentimentos acontecem dos fatos

    Coisas Miudinhas

    Fica muito difícil qualquer tipo de abstração quando o estômago é desocupado às carreiras, dando mais espaço para que a angústia se instale. Durante muito tempo foi essa a reação quando o inesperado dava um bote na minha vida. Depois, as variações de pressão que não estavam nem aí para os remédios que se esforçavam, inúteis, para que, ao menos, a pressão fosse a mais equilibrada de nós duas. É um sobe e desce que só a tontura para tentar explicar em detalhes. Mas se aprende a lidar com tudo, menos com os sustos dessa vida. E é tamanha a montoeira de sustos que deixei de ter hierarquia com relação…

  • Sentimentos acontecem dos fatos

    Inocência

    Augusto Ribeiro dos Santos Maciel. Um nome com sonoridade tão nobre, mas todos insistiam em chamá-lo por Guto. Era um pedreiro cujas habilidades jamais poderiam ser desqualificadas, mesmo que ninguém o tivesse visto trabalhar: sua qualidade profissional podia ser atestada só de vê-lo fazendo as refeições. Eu ficava ansiosa para que a hora do almoço chegasse logo. Meu pai havia contratado o pedreiro para reformar o banheiro social: trocar os azulejos, substituir o piso gasto, modernizar as louças… Quando chegava a hora do almoço eu ficava observando, com cuidado para não ser descoberta, a destreza com que Augusto Ribeiro dos Santos Maciel interagia com o prato de comida: movimentava o…