• Saltaram dos livros e vieram para cá,  Sentimentos acontecem dos fatos

    Sobre trocar de calçada

    “O problema não é Deus, é o que inventamos Dele. As pessoas têm certeza demais sobre as vontades de Deus, acho até que algumas criaram Deus em vez de terem sido criadas por Ele. Deus não é de pensar, é de sentir. É um colo de braços fortes e delicados, ninando a gente num mar furioso, esquenta seu coração nesse colo, respira com Ele. Deus não é um lugar de certeza, é só um pouco de esperança.” Carla Madeira, romance “Tudo é Rio”. As famílias Salomão e Assis se juntaram para inaugurarem uma nova geração. Anita Salomão e Ricardo de Assis se uniram em matrimônio. Era um casal que se…

  • Saltaram dos livros e vieram para cá,  Sentimentos acontecem dos fatos

    A Serviço dos Carmas

    Nestor não conseguia esconder o incômodo quando diziam para ele esperar um minutinho ou dois. Ele contorcia a boca e revirava os olhos porque geralmente o um ou os dois minutinhos, fáceis de serem verbalizados, no mundo real significavam meia-hora ou hora inteira esperando ao telefone. Sem falar naquela musiquinha irritante oferecida para estimular as mais baixas reações do ouvinte: geralmente comportamentos histéricos, do tipo atirar para longe o telefone ou desligar vigorosamente o aparelho para aliviar a tortura. “Essa coisa de Atendimento ao Consumidor é invenção do diabo”, dizia Nestor todas as vezes que era obrigado a recorrer a esses serviços telefônicos. E o mais irônico de tudo é…

  • Saltaram dos livros e vieram para cá

    Leio o que ninguém escreveu

    A primeira vez que eu li, devia ter uns quatro ou cinco anos e viajava com a família pelas estradas de Minas Gerais. Provavelmente eram férias e, como sempre, percorríamos o roteiro das cidades de águas termais. Revezávamos a cada ano, ora Caxambu, ora Poços de Calda, quando não São Lourenço, às vezes Araxá. Foi dentro de um ônibus interestadual, caída a noite, que eu li as estrelas através da janela porque, fato dado, os assentos ao lado das janelas eram meus sem necessidade de qualquer argumentação reivindicatória junto à família. Não sei dizer, com precisão, que espécie de história as estrelas me permitiram interpretar, mas lá estava eu, miúda…

  • Saltaram dos livros e vieram para cá

    Se a coisa é boa a gente oferece a quem queira

    Pois é, comecei enaltecendo “O Arroz de Palma” (2008) e agora não sei como qualificar mais três obras geniais do Francisco Azevedo: “Doce Gabito” (2012), “Os Novos Moradores” (2017) e “A Roupa do Corpo” (2020). A dificuldade reside em querer identificar qual é o melhor. Não tenho como dar preferência a um sem administrar a injúria com relação aos que, injustamente, forem preteridos. Mesmo porque a temática presente em todos é a família. Famílias com suas afinidades, suas idiossincrasias, seus disparates, suas inverdades… Famílias distintas que ao lidarem com seus sobrenomes vão lançando redes que uma vez recolhidas nos trazem o que de humanidade existe neste temperamental planeta. O que…

  • Saltaram dos livros e vieram para cá

    O Arroz de Palma

    Sussurra a crença popular que o nominado “inferno astral” precede em alguns dias (em torno de uma semana) a data do aniversário. Sempre desconfiei que se o determinismo confirmasse tal hipótese, eu teria que acreditar que o destino mergulha na crueldade e respinga na gente turbulências indesejáveis às vésperas de uma data sempre comemorativa. Não precisamos de nenhuma agrura para que o aniversário venha nos resgatar. Principalmente agora, já que a perplexidade nos acumula de catástrofes planetárias. Ao menos este ano a crença não se confirma. Até agora, no que me diz respeito, já tive muitas alegrias e sentimentos de gratidão na eminência de inaugurar um novo ciclo. Dentre tais…

  • Saltaram dos livros e vieram para cá

    A Sombra do Vento

    A primeira vez que li um livro de Carlos Ruiz Zafón foi no ano passado, graças ao presente que me foi oferecido por meu irmão, cujo título foi “A Cidade de Vapor”. Fiquei impressionada com a maestria do Autor no emprego das palavras. Dotado de um estilo que me obrigou a ficar agarrada ao livro até que concluísse a leitura da sua última página. Também me impressionei, desta vez negativamente, por ter levado praticamente toda a minha existência para vir a conhecer, quase que acidentalmente, uma obra de sua lavra. Zafón foi um escritor espanhol que veio a falecer no ano passado (2020) em sua residência em Los Angeles, vítima…