• Sentimentos acontecem dos fatos

    A aranha presa na sua própria teia

    Essas coisas que acontecem no campo das diferenças sempre me despertam a atenção. E ficar atento, nos dias de hoje, deveria ser medida universal, tipo roupa de bom caimento, que se veste independentemente do tamanho do que deve ser coberto. Afinal, são muitos os perigos. Mas, a começar por aí, existem pessoas atenciosas, pessoas distraídas, e outras que se desequilibram na miopia para que não lhe pese o uso de óculos. São diferenças intrigantes à disposição de quem as adota. Muito bem, então tá. Nunca captei, de forma bem assentada, o sentido da vida. No entanto, afirmar com cores definitivas que a vida não tem sentido, sempre rechacei por não…

  • Sentimentos acontecem dos fatos

    No quando cheguei por aqui

    Quando cheguei na cidade, naquele ano, distante trinta anos do agora, nem conseguia me lembrar a primeira vez que havia passado por ali. Era início de maio e a claridade daquela tarde, recém iniciada, espalhava sua intensidade por tudo, a ponto de doer os olhos, mas sugerindo que a vida, naquele momento, estava sendo inaugurada sem qualquer possibilidade de sombras. A luz impositiva indicava que o futuro estava à minha disposição, sem encruzilhadas, sem becos, sem retornos… uma estrada reta, iluminada, servindo aos passos que eu viesse a trilhar. Quando cheguei, eu me sentia aberto a quaisquer possibilidades de viver uma história de vida original. Um futuro a ser construído…

  • Sentimentos acontecem dos fatos

    Lasquei-me

    Pois é, você nem conferiu se a minha pessoa correspondia à sua imaginação, em que proporção se davam as similitudes e as dessemelhanças. Mas não se preocupe também cometi muitos enganos e eles foram cadenciados, espalhados pelos intervalos que corresponderam às diferentes fases oscilatórias da minha vida. Hoje consigo identificar esse fluxo, mas nem por isto se tornaram raros, ou menos intensos, os meus equívocos. Acho que pioraram posto que a consciência da possibilidade de errar não emperra o impulso de levar a cabo certas ideias mal planejadas de uma mente criativa. Portanto, lasquei-me numerosas vezes… No tempo em que tinha gosto por escrever cartas, me pus à tarefa para…

  • Sentimentos acontecem dos fatos

    Pode ser…

    Pode ser que a turma se aproxime trazendo com ela a sombra do silêncio que cresceu no medo. Aquele silêncio que foi engolindo palavra por palavra, todas que significavam esperança. Tudo isso só porque o medo foi aumentando de forma tão assustadora que conseguiu embaçar o futuro. Não sobrou muito o que fazer desse presente estragado, além de olhar pela janela e não reconhecer a paisagem nem a nós mesmos. Uma vontade danada de não ser essa novidade triste, acontecida de urgência, que não permitiu a ninguém planejar o diferente do que se era até então. “Até então”, neste caso, foi o dia de “não poder”: Não poder trabalhar. Não…

  • Sentimentos acontecem dos fatos

    Um Homem além da Quarentena, um pouco depois dos Sessentena

    Nunca usou chapéu. Chapéu tem abas que o impedem de ver o céu. No céu tem anjos que batem asas nas vezes que ele sorri. Ou os anjos são conceitualmente muitos exigentes, ou ele sempre foi de sorrir pouco… mas de observar muito, escapando pelas feições a expressão dos seus pensamentos. Pensamentos refletem moral de conduta. Rígido. Sério. Correto. Homem de bem. Rasgou o peito de cima a baixo, mas de certa forma trancou a alma no recôndito de si mesmo. Alma acidentada por sentimentos contidos. Lá dentro do corpo, a alma brincando no slackline vertical, percurso que vai do cérebro ao coração. Ora desequilibra ali, ora uma vertigem aqui……

  • Sentimentos acontecem dos fatos

    O que será? O que seremos?

    Eu nem sabia, mas a cada dois anos, desde 2000, se dá o rompimento de uma barragem neste país. É bem verdade que MG detém um triste recorde, mas outras ocorreram em PB, RO, PI, AP. Aquelas que não mataram diretamente as pessoas, destruíram o meio ambiente onde pessoas viviam. É muito sutil a diferença, se é que há diferença. A morte anda solta, como uma bruxa ávida, batendo as asas da destruição no tempo. Agora temos a ameaça do COVID-19, que nos dá a certeza que estamos todos num mesmo barco, e o mundo não passa de uma bola de gude pela extrema capacidade de desencadear reações que varam…