• Ocasiões dos versos possíveis

    Funeral blues

    Parem todos os relógios, desliguem o telefone, Evitem o latido do cachorro com seu osso suculento, Silenciem os pianos e com tambores lentos Tragam o caixão, deixem que o luto chore.   Deixem que os aviões voem em círculos altos Riscando no céu a mensagem Ele Está Morto, Ponham gravatas beges no pescoço dos pombos brancos do chão, Deixem que os guardas de trânsito usem luvas pretas de algodão.   Ele era meu Norte, meu Sul, meu Leste e Oeste, Minha semana útil e meu domingo inerte, Meu meio-dia, minha meia-noite, minha canção, meu papo, Achei que o amor fosse para sempre: Eu estava errado.   As estrelas não são…

  • Ocasiões dos versos possíveis

    Aparências

    Não sou mais tolo não tenho mais queixas: enganasse-me mais desenganasse-me mais mais rápida mais tempo mais voraz e arrebatadora mais volúvel mais volátil mais aparecesse para mim e desaparecesse mais velasse mais desvelasse mais revelasse mais re- velasse mais eu viveria tantas mortes morreria tantas vidas jamais me queixaria jamais Antônio Cícero

  • Ocasiões dos versos possíveis

    Sonhos e sonhos

    de vez em quando me reconheço em jovens barbudos, cabelos ao vento e roupa despojada que caminham plantando sonhos às margens das calçadas nas quadras de Brasília e às vezes me vejo refletido em anciões taciturnos que caminham chutando pedaços de sonhos no meio dos caminhos e… não pergunto nada nem a mim nem a Drummond José Luiz do Nascimento Sóter, poeta brasiliense

  • Ocasiões dos versos possíveis

    As três palavras mais estranhas

      Quando pronuncio a palavra Futuro, a primeira sílaba já se perde no passado.   Quando pronuncio a palavra Silêncio, suprimo-o.   Quando pronuncio a palavra Nada, Crio algo que não cabe em nenhum não ser.   (Wislawa Szymborska, poeta polonesa)

  • Ocasiões dos versos possíveis

    Colcha de canções

      Vendaval sobre o mar azul: quantas vezes chorei… O amor quando acontece a gente esquece que sofreu um dia E nem sequer ouvi falar seu nome, caminhando pela estrada. Às vezes ficam faltando pedaços demais quando ando pensando em te esquecer E são os seus olhos que me tiram do chão sem eu nem saber se é solidão Quando misturo memórias das histórias que só eu entendo direito. Apenas não me olhe assim porque eu tenho um sorriso que guarda você de mim Brasileira, sem fronteira, solteira – dona deste planeta Você vem como se fosse me levar num primeiro olhar. Sabe, eu sou feliz e invento a vida enquanto eu…

  • Ocasiões dos versos possíveis

    Inventário

    Essa solidão imensa entrego a qualquer poeta Essa esperança deixo no coração de uma criança Essa certeza é para a vida negar Essas lembranças que saiba o tempo apagar Esse gosto de ilusão: na porta de saída da relação As convicções de futuro ficam para o dia que nunca chegará Essa tristeza ninguém há de querer Esse querer ninguém poderá receber Essa dor, uma pedra perfumada estancará Essa absoluta falta de sentido e motivo fica comigo Essas inúteis manhãs continuarão sendo inúteis manhãs, bem sei Essa ausência é o que sobrou do que pensei que fosse amor.