Sentimentos acontecem dos fatos

É o que me interessa

A brincadeira das letrinhas que liberta uma palavra trazendo muitas outras com seus sentidos próprios, só mudando as letrinhas de lugar. A brincadeira do raio de sol atravessando a janela e se acomodando de forma confortável sobre a caneta e o papel em que rascunhava os inúteis pensamentos que acontecem no final das tardes. A brincadeira da lua-cheia negando a noite e salpicando luz prateada nos frutos do quintal que cochilam nas árvores. A brincadeira da vida no pique-esconde com a morte, lá no vídeo-game dos deuses.

Hoje amanheceu com uma fartura extraordinária: surpresa de uma cesta de café da manhã; surpresa da chuva fina irrigando, em plena seca, a vegetação do cerrado; surpresa da amiga que, em férias no continente distante, se manifestou na rede social sobre a necessidade de celebrar a vida; a surpresa, mesmo tendo sido agendado, do café no final da tarde; a surpresa dos primeiros, segundos, terceiros telefonemas e emails (e também dos esquecidos) de gente muito ocupada que fizeram um intervalo nas obrigações para um carinho, um cheiro…

Olho em volta e tenho tudo que me interessa: o favor do vento na direção das promessas que o futuro desenha num jogo de luzes (sombra das cores); o caos de alguns momentos que inspiram a intuição na arrumação do quebra-cabeça da paz; a paisagem recompensando as dificuldades de cada estação; o silencio escorregando pela fenda das provisórias impossibilidades; o leito dos rios onde adormece a curva do universo que construímos para nós; o arco-íris que se desdobra em sucessivas fotografias que ficaram das nossas vidas; a luz elétrica que me sobressalta quando não traz para perto os amigos com quem compartilho a minha solidão; as nuvens que infringem o céu azul e sussurram os benefícios do passado… Tudo me interessa mesmo que não expliquem a órbita do tempo.

Hoje o caleidoscópio gira em generosa calma para a celebração da vida. E tudo me interessa dessas porções de energia que se fortalecem quanto mais obedecem ao tempo das transformações. Todos os instantes me interessam: descuidados frutos do acaso onde embalei a minha vida.

2 Comentários

  • solange rocha e meio maria

    Adorei aquele lago construído,
    Adorei aqueles tons crepusculares
    E para dizer tudo isso e te desejar um feliz aniversário fiquei procurando como.
    Acho que entrei aqui num lugar que era para fazer um comentário.
    Então seguirei fazendo:
    Adorei seu rabinho de cavalo bem indiano
    Adorei seu carro
    Adorei suas idéias
    Embora eu estivesse esquisitíssima estar com vocês me levou para um lugar de afeto muito confortável
    Me senti naqueles filmes americanos com longas e desertas estradas e desejos de liberdade
    Um pouco os anos 70 um pouco 2011
    Feliz aniversário sábia criatura
    Beijos,
    Sol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *