Ocasiões dos versos possíveis

As três palavras mais estranhas

 
Quando pronuncio a palavra Futuro,
a primeira sílaba já se perde no passado.
 
Quando pronuncio a palavra Silêncio,
suprimo-o.
 
Quando pronuncio a palavra Nada,
Crio algo que não cabe em nenhum não ser.
 
(Wislawa Szymborska, poeta polonesa)

3 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *