Sentimentos acontecem dos fatos

Bem-vinda

Do grego, a arte de tecer fios ao longo da vida, unindo pontas, juntando cores, construindo tapetes, quadros, mosaicos, as formas mais lúdicas, mais singelas. Por este dom serás, então, Penelope. Do hebraico, a responsabilidade da vidência, a força administrada pelas senhoras soberanas que em si preservam a guarda dos demais. Serás então, Maria.

Penelope Maria chegando em outubro, décimo mês do calendário gregoriano, que garante uma unicidade com o infinito (outubro também é o oitavo mês no calendário romano ∞). Bendita seja essa combinação do grego, do hebraico e do romano, derramando sobre o seu destino a missão da conciliação, da harmonia, dos grandes feitos. Que seja doce o seu caminho na convergência de todas as diferenças, tecendo laços, na vidência de sábios feitos.

Mas para mim, serás a miúda, little baby, Penepole Maria, minha terceira sobrinha-neta, nascida sob o signo de Libra, no ano e mês em que uma brasileira, minha contemporânea, foi consagrada Santa Dulce dos Pobres. E que todas essas bençãos – de esperança na paz – derramem sobre você a alegria que sentimos por saber que você chegou neste dia 14 de lua cheia. Mas para mim, serás a princesa do arco-íris, muito além do rosa e do azul, cobrindo meu coração de cintilante felicidade, como toda criança deve inspirar. E deves ser feliz no aconchego de pai, mãe, irmãos, tios, do avô babão, da tia-avó rodando o globo terrestre, abajur de quarto, procurando o país, a cidade, varando mares para saber-me mais perto de você. Mas para mim, serás o ar que se molda em vento, trazendo beleza, suave brisa, preenchendo de cordialidade as tardes abafadas de injustiças. Para mim serás trigo dourado, alimentando os corações aflitos com o pão da serenidade. E serás doce, e serás meiga, e serás farol dos navegantes imprecisos afugentando os perigos nas variações das marés.

Para mim, serás sempre bem-vinda, a cada dia, todos os dias, como uma oração de quem com a alma pacificada agradece à vida, pela sua vida que em nós reverbera tal qual uma melodia cujos acordes são dos anjos os sorrisos.

Bem-vinda, minha vidente, tecelã de fios!

 

8 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *