Sentimentos acontecem dos fatos

Pedaços de muitos desejos

multidaoUm pouco sem querer, tinha que lidar com o fato de se saber por inteiro. Exercia  uma meiga leveza no trato com a vida.  Esporadicamente escorria um filete de sangue nas tentativas de um meio sorriso: nas vezes em que a compreensão o abandonava. Reticente: quando percebia que entre os dentes carregava algum sentimento embaçado.  E lá ia ele, dobrando as esquinas com uma suavidade de corpo que nunca afligia o ritmo dos  passos. Tão inteiro. Tão completo. Um sorvete de fruta no final da tarde. Quando não, um de chocolate. Assim fica claro o que quero dizer. Uma frase ditada por uma súbita inspiração, anotada no caderno que sempre carregava para essas ocasiões específicas.

O conheci em um Shopping. Eu sentada na frente da minha caipiroska. Ele bem posicionado na direção de uma taça de sorvete com muitas bolas coloridas. O que fez com que eu não conseguisse desviar os olhos dele foi aquela maneira , que lhe é muito peculiar, de acompanhar os pedaços de vida nas pessoas a sua volta. Uma maneira de olhar especial, sem aprovação ou crítica, mas com uma atenção concentrada como se cada gesto dos outros, ou palavra, pudesse lhe ensinar todos os segredos, incluindo os que ele nem sabia que existiam. Ele permanecia muito interessado num casal de jovens que conversavam um pouco desatentos da criança que estava com eles. Estava de tal forma concentrado que eu não conseguia imaginar como aquele olhar tão direcionado era capaz de ficar desapercebido pelos que eram observados. A criança talvez tenha sido a única a identificar aquela intensidade. Era um menino de uns três anos que se aproximou dele estendendo o caminhãozinho que trazia nas mãos e que já havia percorrido muitas mesas e cadeiras daquela praça de alimentação. Ele foi gentil com a criança e brincaram algum tempo juntos até que os pais o chamaram pedindo para não incomodar ninguém. O casal foi embora. Outras possibilidades de observação se estabeleceram. Demorou bastante para coincidirmos os nossos olhares, que imediatamente ofereceram um sorriso.

Seu nome é José, cujo significado – o que acrescenta – tem muito a ver com ele. Ainda perguntei se era José e nada mais. Ele riu me corrigindo: “José e tantas coisas mais”. Estava na cidade a trabalho. Uma reunião cientifíca, com duração suficiente para confirmar que a minha cidade é um dormitório e no dia seguinte partir. Morava em São Paulo e adorava São Paulo (fato que nunca entendi, mas que nos divertiu muito). Começamos a esgrimir sobre as qualidades de cada cidade de uma forma superlativa com relação a outra. Rimos muito até chegarmos na única conclusão possível:  felizes nós éramos em morar na cidade que cada um amava. Fiquei um tempo longo desfrutando daquela pessoa que impressionava pela naturalidade de ser. Uma espontaneidade de entrega que somente uma pessoa inteira pode oferecer. Daquelas pessoas que em menos de meia hora se tem a sensação que está na nossa vida desde sempre.

As lojas começaram a fechar as portas e a nossa tendência de tudo observar estava completamente neutralizada. Nem ao menos nos demos conta do constrangimento dos lojistas com a hipótese de ter que nos expulsar.  Gentilmente a conta foi colocada na nossa mesa com um pedido de desculpas que nos fez perceber a situação em toda a sua complexidade. Rimos e resolvemos de forma satisfatória o que esperavam de nós. Me ofereci a levá-lo ao Hotel. Ele vendo as chaves do carro na minha mão impôs uma condição: só se formos caminhando. Eu quase contra-argumentei dizendo que não sabia fazer isso, e de quanto tempo eu precisaria para aprender a caminhar, mas não queria  resistir porque isso seria infrigir os bordados que os corpos celestes traçam quando movimentam o universo.

Hoje sua lembrança insistiu dentro de mim. Vasculhei São Paulo inteira, mas sempre me confundo nas altas fachadas dos prédios. Tantos rostos, tantos vultos, tantos pedaços de muitos desejos… e eu procurando uma nesga de céu azul para reencontrar você, sem ser bem aqui no meu coração.

When there are clouds in the sky / You´ll get by / If you smile / Through your fear and sorrow / Smile and maybe tomorrow / You´ll see the sun come shining through / For you.   … You´ll find that life is still worthwhile / If you just smile.

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *